ORGANIZAÇÃO PROSÓDICA E INTERPRETAÇÃO DE CANÇÕES: A FRASE ENTONACIONAL EM QUATRO DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DE NA BATUCADA DA VIDA

Repertorium

ORGANIZAÇÃO PROSÓDICA E INTERPRETAÇÃO DE CANÇÕES: A FRASE ENTONACIONAL EM QUATRO DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DE NA BATUCADA DA VIDA

Show full item record

Title: ORGANIZAÇÃO PROSÓDICA E INTERPRETAÇÃO DE CANÇÕES: A FRASE ENTONACIONAL EM QUATRO DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DE NA BATUCADA DA VIDA
Author: GELAMO, RENATA PELLOSO
Abstract: Propusemos, neste estudo, um olhar sobre o fenômeno da voz, no qual aspectos lingüísticos da interpretação vocal de uma canção pudessem ser levados em conta. Buscamos subsídios na Lingüística, mais especificamente, na Fonologia Prosódica, por acharmos que, ao vincularmos voz e linguagem, poderíamos contribuir para um enriquecimento do trabalho fonoaudiológico com cantores. Para tanto, propusemos compreender, nesta pesquisa, como um grupo de juízes percebia auditivamente a maneira como grandes nomes da Música Popular Brasileira (Carmen Miranda, Dircinha Batista, Elis Regina e Ná Ozzetti) organizam prosodicamente o texto da canção Na batucada da vida. Analisamos mais especificamente a percepção de como as intérpretes organizam e delimitam o constituinte frase entonacional (I), assim como procuramos verificar a eficácia do algoritmo estabelecido para esse constituinte por Nespor & Vogel (1986). Como I é um constituinte da hierarquia prosódica que leva em conta, para sua definição, elementos semânticos, levantamo a possibilidade de criação de diferentes efeitos de sentido em cada interpretação, a partir dos diversos modos como as intérpretes organizam a frase entonacional. Pudemos observar, durante a exposição de nossos dados, que o algoritmo que define o constituinte frase entonacional formulado por Nespor & Vogel mostrou-se eficaz. Ao compactuarmos com a visão de que voz e linguagem não se separam, pudemos demonstrar, também, com base nos diversos modos de organizar a frase entonacional nas quatro intérpretes, a possibilidade de diferentes atribuições de sentido para as interpretações. Atribuímos, ainda, a essas diferentes organizações o caráter de possíveis marcas de ubjetividade das intérpretes. Postulamos que as semelhanças encontradas na organização da frase entonacional poderiam decorrer de dois fatores: (a) influência das intérpretes mais antigas sobre as mais recentes; e (b) influência de informações de natureza musical (padrões da estrutura rítmico-melódica). Nos casos de não-obediência ao algoritmo da frase entonacional, fatores de natureza musical também podem ter influenciado a maneira como os juízes perceberam esses casos. Acreditamos que essa mútua influência entre informações lingüísticas e musicais esteja presente na delimitação desse constituinte e deva ser tratada, portanto, de modo integrado, uma vez que se trata de canções – produto em que a informação lingüística e a musical parecem não se desvincular.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/61
Date: 2010-09-10


Files in this item

Files Size Format View Description
Dissertação - Renata Pelloso Gelamo.pdf 1.645Mb PDF View/Open Arquivo Principal

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record