DOENÇA DE PARKINSON: DESLIZAMENTOS DO DIZER MARCADOS POR HESITAÇÕES EM CONTEXTO FONÉTICO-FONOLÓGICO RECORRENTE

Repertorium

DOENÇA DE PARKINSON: DESLIZAMENTOS DO DIZER MARCADOS POR HESITAÇÕES EM CONTEXTO FONÉTICO-FONOLÓGICO RECORRENTE

Show full item record

Title: DOENÇA DE PARKINSON: DESLIZAMENTOS DO DIZER MARCADOS POR HESITAÇÕES EM CONTEXTO FONÉTICO-FONOLÓGICO RECORRENTE
Author: VIEIRA, ROBERTA CRISTINA RODRIGUES
Abstract: Tendo como base as freqüentes hesitações nos enunciados falados de sujeitos afetados pela doença de Parkinson, predominantemente atribuídas pela literatura biomédica a limitações orgânicas impostas pela doença, nossa proposta foi investigar aspectos do funcionamento hesitativo de tais sujeitos. Extraímos os dados de uma sessão de conversação entre um sujeito parkinsoniano (NL) e um documentador (JN). Partindo da concepção de que as hesitações são marcas das negociações do sujeito com os outros constitutivos do (seu) discurso, detectamos 48 marcas hesitativas que apresentavam um aspecto peculiar: a tensão em um elemento fonético-fonológico. Pela análise dos 48 enunciados que continham as marcas, observamos, em primeiro lugar, a presença desse elemento fonético-fonológico tensionado em palavras presentes nos trechos que sucediam ou, simultaneamente, antecediam e sucediam as marcas hesitativas. Observamos, ainda, que a tensão provocada por essa repetição se mostrou fortemente vinculada a outros tipos de tensões que remetiam tanto a elementos de outros planos da língua, além do fonético-fonológico, quanto a elementos do processo discursivo. Com relação aos planos da língua, sobretudo o semântico se mostrou vinculado com o fonético-fonológico. Já com relação ao processo discursivo, levantamos indícios de que o funcionamento hesitativo que denominamos deslizamentos em contexto fonético-fonológico recorrente escancara negociações relacionadas a diferentes elementos das condições de produção do discurso, tais como o das imagens que se fazem de si os protagonistas do processo e a dominância de objetos discursivos. Com relação aos objetos discursivos dominantes no processo analisado, identificamos: (a) doença; (b) família; (c) trabalho; e (d) estudo. Quando os dois primeiros objetos se mostravam em dominância, observamos que NL era predominantemente atravessado pela imagem de sujeito doente, enquanto que, quando os objetos “trabalho” e “estudo” predominavam, emergia uma posição de distanciamento em relação à doença, de tal modo que, desse outro lugar, NL parecia se marcar como detentor do conhecimento. Com relação ao objeto “estudo”, predominantemente, o foco do discurso voltava-se para JN, não sendo observado, nestas ocasiões, o funcionamento hesitativo foco desta pesquisa. Verificamos, ainda, em relação aos objetos discursivos, momentos de emergência de um objeto no interior de outro. Observamos, no entanto, predominância, no processo discursivo, de uma relação imaginária entre NL e JN, atravessada pela imagem do sujeito doente e do profissional da saúde. Nossos resultados apontam para uma complexidade do fenômeno hesitativo em sujeitos com doença de Parkinson, na medida em que os deslizamentos do dizer mostrados por essas marcas, longe de se restringirem às limitações orgânicas características da doença, mobilizam diferentes aspectos da integração dos diferentes elementos da linguagem.
URI: http://hdl.handle.net/123456789/60
Date: 2010-09-10


Files in this item

Files Size Format View Description
Dissertação - R ... stina Rodrigues Vieira.pdf 679.7Kb PDF View/Open Arquivo Principal

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record